Feipol-SE promove Confeipol



Feipol-SE promove Confeipol

 

Congresso Extraordinário Interestadual da Feipol Sudeste foi realizado dias 07 e 08 de dezembro na Chácara do Sinpol, em Ribeirão Preto

 

A Feipol-SE (Federação Interestadual dos Trabalhadores Policiais Civis da Região Sudeste) realizou, nos dias 07 e 08 de dezembro de 2017, a Confeipol Sudeste (Congresso Extraordinário Interestadual da Feipol Sudeste). O evento foi realizado pela Feipol Sudeste, pelo Sinpol de Ribeirão Preto e pelo Sinpol de Campinas e contou com o apoio da Cobrapol (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis) e da Nova Central Sindical.

A sede do encontro foi a Chácara do Sinpol, em Ribeirão Preto. Segundo o presidente da Feipol-SE e do Sinpol Campinas, Aparecido Lima de Carvalho, o Kiko, a escolha do local se deu pela força do Sinpol de Ribeirão Preto na luta pela defesa dos direitos dos trabalhadores policiais civis. "Ribeirão Preto tem um dos sindicatos mais fortes e atuantes. É filiado à Feipol Sudeste, seu presidente é muito bem quisto por todos do Estado e do Brasil e respeitado pela vasta experiência, é uma grande liderança", explicou Kiko.

O presidente do Sinpol Ribeirão Preto, Eumauri Lúcio da Mata, destacou a importância do evento e disse feliz por poder promover na sede de campo do sindicato. "Vivemos um momento muito difícil. O governo não negocia, está estraçalhando a Instituição Polícia Civil, com grande falta de recursos humanos. Não recebemos um centavo sequer de reposição das perdas há quatro anos. Perdemos, de acordo com o Supremo, o direito à greve. Se não nos organizarmos, será o fim da Polícia Civil. E ficamos orgulhosos de poder receber lideranças de todo o Brasil na nossa Chácara do Sinpol", acrescentou Eumauri.

Além de Kiko e Eumauri, participaram Antonio Fialho Garcia Júnior, do Sinpol Espírito Santo; André Luiz Gutierrez, presidente da Cobrapol; Valério S. Valente, da Nova Central no estado de Minas Gerais; Ademilson A. A. Batista, da Feipol Sul; Divinato da Consolação, da Feipol Distrito Federal; Jarim Lopes Roseira, presidente da IPA; além dos diretores do Sinpol: Célio Antonio Santiago, Fátima Aparecida Silva e Júlio Cesar Machado, entre outros presentes.

O encontro serviu para debater dois temas de extrema importância para os policiais civis: Revisão Estatutária e o Projeto de Lei 3831/2015. A Revisão Estatutária é um projeto apresentado pela Cobrapol, defendendo a criação da Lei Orgânica Nacional da Polícia Civil. Para Kiko, essa questão é de grande importância. "Trata-se de um projeto para unificar a Polícia Civil em todo o País. Há uma diversidade de carreiras pelo Brasil. Há casos, por exemplo, de uma mesma função ser denominada por diversos nomes, é o caso do investigador, que é também inspetor, detetive. Isso dificulta uma negociação. Além de unificar a nomenclatura, a Lei Orgânica é fundamental para ganhar força e identidade como policiais civis", pontua Kiko.

Outro assunto debatido entre os participantes foi o PL 3831/2015. Este projeto já foi aprovado pelo Congresso e espera ser sancionado pelo presidente Michel Temer. Ele trata da negociação coletiva para o funcionalismo público, inclusive para os policiais civis. "Esse projeto, se sancionado pelo presidente - o que esperamos -, vai abrir as portas para que possamos efetivamente negociar salários, planos de saúde, condições de trabalho, exatamente como é feito pela iniciativa privada. Não da forma unilateral, como é feito atualmente, onde o governo decide quando e quanto dar de aumento".

Os participantes debateram com veemência os temas propostos, além da alteração estatutária, também levada a plenária. Foram dois dias de extrema importância para os rumos da Polícia Civil como entidade estadual, para que se criem condições de tratar também de seus interesses no âmbito nacional. O último ato da Confeipol Sudeste foi a posse do Conselho Deliberativo das Entidades Filiadas. A julgar pela disposição dos participantes, a Polícia Civil sai mais forte e unida deste encontro.

 

Por: Adalberto Luque

Voltar