DIRETORES DO SINPOL PARTICIPAM DE AUDIÊNCIA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA



Os Diretores do Sinpol, Célio Antonio Santiago, Fátima Aparecida Silva e Júlio César Machado, estiveram na Assembleia Legislativa Paulista, participando do seminário do Ciclo Completo de Polícia.

 

Os seminários estão sendo realizados em várias capitais brasileiras, e são de iniciativa da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal, e visa colher informações das mais diversas a respeito do Ciclo Completo, que nada mais é que dar à Polícia Militar o direito de fazer investigações e elaborar autos de prisão em flagrante, ou seja, quem atende a ocorrência fica responsável por ela, inclusive, fazendo a comunicação ao Judiciário.  

 

Trata-se de uma “usurpação de função” através da ação legislativa, e a presença dos sindicatos nas audiências visa contrapor os argumentos da Polícia Militar, pois, eles estão afirmando com todas as letras “que a polícia civil é ineficaz e que eles podendo fazer o ciclo completo resolveria o problema de segurança pública”.

 

Em verdade trata-se de uma atitude dos Oficiais da Polícia Militar que querem exercer as funções do Delegado de Policia, e fazerem todos os atos de polícia judiciária.

 

Os militares têm comparecido em massa, lotando as galerias, mas desta feita, houve a presença de muitos delegados e policiais civis, e surtiu efeito, tanto que os auditórios ficaram divididos, o que não estava ocorrendo em outras capitais, onde a presença dos militares era muito grande, e dos policiais civis muito pequena.

 

Tudo estava caminhando muito bem para a Polícia Militar, mas alguns contratempos ocorreram e alguns discursos, principalmente da sociedade civil, se opuseram aos argumentos da P.M. e foram claros em afirmar que eles não tem condições de exercer as funções investigativas, dada a formação puramente militar, baseada no princípio da dura hierarquia.  

 

Será que eles investigarão crimes cometidos por oficiais da alta patente?

 

Muitos questionamentos foram feitos, e o Sinpol está acompanhando de perto, participando das audiências e colocando nossa posição que é contrária ao ciclo completo. 

Voltar