Central de flagrantes começa a atuar com fechamento do 2º plantão policial



Medida em Ribeirão Preto, SP, faz parte de reestruturação da Polícia Civil.
Moradores contestam mudança e temem aumento da violência em bairro.


Começa a operar nesta segunda-feira (18) em RibeirãoPreto (SP) a Central de Flagrantes, que faz parte do plano dereestruturação da Polícia Civil no Estado de São Paulo. Com isso, o 2º PlantãoPolicial que atua no bairro Campos Elíseos deixará de operar. A medidaanunciada pelo governo do Estado desagradou os moradores da região que alegamque a ausência da polícia facilitará a ação de marginais.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, as centrais foram criadas paraagilizar o atendimento à população, centralizando as ocorrências que maiscontribuíam para a lentidão no atendimento, e os flagrantes, que incluemcaptura de procurados da Justiça e crimes chamados de ato infracional, de menorpotencial ofensivo.

Ribeirão Preto é a terceira cidade do interior do Estado a implantar acentral, que vai funcionar 24 horas por dia. Fora da capital, apenas Campinas eSão José do Rio Preto haviam aderido ao sistema. A Central funcionará no prédioque abriga o 1º Plantão e a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), que ficana Rua Duque de Caxias, no Centro.

De acordo com odiretor do Deinter-3, delegado João Osinski Júnior, o serviço deve facilitar oatendimento à população. “Se você está perto da sua delegacia nada impede quevocê vá até o distrito e registre a ocorrência. Os distritos continuarãoabertos normalmente durante o expediente. O que estamos propiciando é umserviço diferenciado à grande maioria da população que está no Centro ou quevem para o Centro”, diz.

Com aunificação dos plantões, Osinski Júnior diz que o Estado poderá exigir maisagilidade na resolução dos casos nas delegacias. “O que nós iremos cobrar é umamelhor atuação da polícia nos distritos, com uma melhor investigação e com umamelhor qualidade nos inquéritos policiais.”

Reclamações

A implantação do projeto de Reengenharia em Ribeirão foi anunciada no final dejaneiro pelo secretário estadual de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira.Na ocasião, Vieira disse que a segurança não será diminuída, pois quem exerce aação de prevenção é a Polícia Militar, opinião defendida por Osinski.

Entretanto, amudança não agradou os moradores dos Campos Elíseos, que questionam a mudança.Segundo Jair Grellet Filho, presidente da associação do bairro, o plantãopresta é um órgão público que presta um serviço à comunidade. “Os moradores terãoque se deslocar até outro bairro da cidade para registrar suas queixas. Amovimentação das viaturas próximas ao plantão garante uma segurança, intimida omarginal. Sem o plantão aqui, os crimes vão aumentar”, diz.

Para ocomerciante Eleandro Rodrigues, o ideal seria manter o plantão no bairro. “Oscrimes já acontecem mesmo com a presença da polícia, imagine agora sem adelegacia”, afirma. 

O fechamento do2º Plantão também preocupa a comerciante Marlene de Faria. A loja dela já foiroubada várias vezes. “Aqui é um lugar que tem muitos roubos. Precisamos é quetenha mais polícia na região e não que ela seja retirada.”

 

Comentários G1

Fabio Diaz 8 horas atrás

Isso mostra queeste Delegado Deinter é um retrogrado e não sabe o que está fazendo.Em um momentoonde precisamos de mais delegacias esse senhor fecha e coloca tudo num sólugar, para poder economizar dinheiro e maquiar, tentando demonstrar que hápoliciais suficientes. A policia civil está na penuria, salarios baixos, faltaequipamentos e funcionarios esse Delegado tentando enganar a população. é comum incompetente como ele que faz de tudo para acabar com a policia.

Dedo Ferida ontem

A Polícia Civilconta com o mesmo numero de funcionários da década de 80. Há prédios (por sinalem péssimo estado) mas não há gente para trabalhar. Enquanto a cidade cresce, apolícia diminui. Alias, a cada 05 dias, um delegado abandona a profissão em SP.Situação gerada pela politica do "estado mínimo" implantada pelo PSDBno estado ha 20 anos. Aos que adoram Alckimin, Serra e afins, contratem escolasparticulares, planos de saúde e, se sobrar dinheiro, segurança particular.

 

Fonte: G1

http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2013/02/central-de-flagrantes-comeca-atuar-com-fechamento-do-2-plantao-policial.html

Voltar